O que é Branding?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Vamos começar com um pequeno exercício: pense em uma empresa que você consegue reconhecer facilmente, seja pelas cores, formatos das embalagens e a linha de comunicação seguida. Isso não acontece por acaso, é fruto de um trabalho bem estruturado que faz parte da estratégia de negócios, que é conhecido como branding. Mas o que é branding

Antes de explicar esse conceito, é preciso entender o que é marca. Marca é muito mais do que apenas o logo de uma empresa ou seu nome, além desses componentes, é também a experiência, os valores e percepções que serão transmitidos ao cliente, para resultar no reconhecimento da organização, seus produtos e/ou serviços.

Resumindo: engloba tudo aquilo que representa o que é sua empresa quando o cliente entra em contato com ela e contribui para a identificação e a preferência perante os concorrentes no momento de decisão da compra. 

Nas palavras de Seth Godin: “uma marca é um conjunto de expectativas, memórias, histórias e relacionamentos que, juntos, são responsáveis por fazer o consumidor escolher um produto ou serviço em vez de outro.”

Agora sim: o que é branding?

Também chamado de gestão de marcas, o branding é um aglomerado de práticas estratégicas que, ao serem aplicadas de maneira eficiente, participam de forma efetiva, da construção da percepção que o consumidor terá em relação à sua empresa.

Como se trata da percepção dos clientes em relação à marca é importante trabalhar a gestão, de forma que garanta que a identidade será a mesma em todos os pontos de contato, a ligação com os interesses e necessidades do público-alvo e a construção da percepção sobre a empresa e dos produtos e/ou serviços ofertados. 

Os esforços do branding resultam em reputação e reconhecimento, melhorando os resultados dos negócios.

Branding é importante?

Segundo uma pesquisa realizada pela Ana Couto Branding, a conexão verdadeira criada a partir de um trabalho de branding bem realizado e com propósito, é capaz de impactar a percepção de preço: 67% dos entrevistados afirmaram estar muito dispostos a adquirir um produto de uma marca que se conecte com eles a partir de um propósito em comum e aceitam pagar mais por isso, já que conseguem enxergar um valor real nessa compra.

Iniciando a gestão de marcas

O processo de gestão de marcas é um trabalho constante, demorado e possui certo nível de complexidade. Os canais de comunicação e os profissionais envolvidos devem se manter alinhados, a fim de garantir uma identidade forte e coerente para a marca que representam.

A seguir, separamos algumas dicas para auxiliar no começo desse caminho. Mas lembre-se: esse trabalho deve ser acompanhado de profissionais da área, capazes de reconhecer os pontos fortes e fracos e escolher as melhores estratégias para cada marca.

  1. Propósito

Qual a razão da existência da marca? Pense sobre o que buscava alcançar no momento de criação do negócio. É comum que os propósitos possam se converter no slogan ou tagline da marca, mas não é uma regra;

  1. Promessa de marca

A promessa de marca é o resumo do que você planeja fazer para que o seu propósito se transforme em realidade. 

  1. Atributos de marca

Os atributos de marca são as características que a tornam única, os valores de que você não abre mão e que guiarão a forma como você se comunica ou trabalha.

  1. Posicionamento

Para definir o posicionamento, é necessário entender o mercado, o que seus clientes querem e precisam. Após isso, é hora de olhar para seu negócio e entender como o seu produto e/ou serviço se faz importante nesse cenário.

Exemplo de sucesso: Dove

Como citado anteriormente, o processo de gestão de marcas é constante e um ótimo exemplo disso é a Dove. A marca lançada em 1957 tinha todas as suas campanhas voltadas para lembrar que seu sabonete era mais cremoso e possuía ¼ de hidratante, diferente de seus concorrentes. A frase “sabonetes ressecam. Dove não” já fazia parte do imaginário coletivo.

Em 2004, a marca adotou o posicionamento de “Real Beleza”, que trouxe uma comunicação mais empática e emotiva. Suas campanhas agora trazem a discussão sobre o resgate da beleza de cada indivíduo, com mulheres reais de diferentes biótipos, etnias e idades em seus comerciais.

Ao reconhecer que a autoestima impacta em diversos momentos do nosso dia a dia, a Dove criou um diferencial perante seus concorrentes e pôde expandir suas linhas de produtos e criar a Fundação Dove de Autoestima, que visa fortalecer a autoestima de crianças e adolescentes por meio de uma série de programas educacionais. 

Com certeza, a partir de agora, você tem as informações necessárias para desenvolver um bom trabalho de Branding, transformar sua marca e conquistar ainda mais o mercado e seus clientes.

O que acha começar agora a aplicar os conceitos de gestão de Branding em sua marca e fazer, dos seus simples consumidores, clientes apaixonados pelos seus produtos? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros posts do blog
que podem te interessar...

O que é branding?
Experiência do cliente

O que é Branding?

Vamos começar com um pequeno exercício: pense em uma empresa que você consegue reconhecer facilmente, seja pelas cores, formatos das embalagens e a linha de

Leia mais »

Este website usa cookies para garantir uma experiência melhor e personalizada.
Você navegando no site, assume que está consciente de nossa política de privacidade.